Os encantos do Deserto (Parte I)

Deserto do Atacama (Chile)!
Fiquei apaixonada por esse lugar!
Antes de sair de férias estava num grande dilema: Para onde ir? O que conhecer?
Só pensava que tinha esperado tanto por essas merecidas férias que deveria ser bem “vivida”. Queria aproveitar os meus poucos dias de “sombra e água fresca” para conhecer algo diferente. Foi aí que surgiu a ideia de ir ao Deserto do Atacama. Mas todos me perguntavam: O que você vai fazer no deserto?? Por isso, me aprofundei no assunto, pesquisei em agências, blogs de viagens e conversei com amigos. Me encantei logo de cara, então encontrei uma companhia (adorável por sinal), fiz as malas e… #desertoaquivoueu.
Para chegar ao Deserto, precisa passar pela capital, Santiago, depois pela cidade de Calama e por último, um “transporte terrestre” até a cidadezinha de San Pedro de Atacama.
É uma viagem indicada para quem gosta de caminhar bastante e acordar muito cedo para apreciar paisagens incríveis, (coisas, por exemplo, que o meu namorado não toparia jamais). Podemos classificar essa viagem como um roteiro um tanto quanto “roots”. rs
Chegando a San Pedro logo pensei que não comeria muito bem… Demos uma passeada pela cidade (toda de terra batida) e essa impressão só foi aumentando. Chegamos morrendo de fome, estávamos desde as 07h sem comer e já eram 16h. Por isso entramos no primeiro restaurante que vimos: o “Café Adobe”. E a surpresa foi agradabilíssima. Lugar aconchegante e muito “leve” (o cantar dos passarinhos transmitia paz). Sentamos e rapidamente, junto com o cardápio, nos trouxeram um tipo de pão com formato redondo parecendo um biscoito bem quentinho e um vinagre chileno (tomate, cebola, azeite, limão e coentro). Saborosíssimo! Depois descobrimos que esse “pão” é servido como entrada em todos os restaurantes do local, inclusive tem a versão integral, que comemos num restaurante vegetariano (sim, no deserto também tem restaurante vegetariano).
IMG_5200
Como prato principal pedimos para dividir um Risoto de Quinua com Cogumelos e Tomates Caramelizados (Quinua é um cereal super nutritivo – rico em proteínas – típico dos Andes), acompanhado de Quesadilhas de Queijo com Manjericão e Tomate. Aprovamos os dois pratos. Só não gostei muito dos tomates porque eram adocicados e não é a minha praia misturar doce com salgado no mesmo prato. O prato era muito bem servido (que bom que tivemos a ideia de dividir).
Risoto de Quinua
Quesadilla
Com as bebidas pagamos em torno de R$ 50,00 por pessoa. No início achei um pouco salgado o preço, mas depois de quase uma semana por lá descobri que esse era o ticket médio. Percebi também que tanto em Santiago quanto em San Pedro a culinária é bem “sofisticada” e até um pouco gourmet. Com certeza, eles estão mais avançados na arte da “gastronomia”, pois até mesmo nos restaurantes mais simples os pratos são muito bem montados e finalizados. Aí o preço se justifica, pois podemos comparar com os restaurantes mais gourmets de São Paulo.
Tenho muito ainda o que contar do que comi por lá, mas vou separando em outros posts, ok?
#valeapenaconhecer
Bjs! Naná
IMG_5702

Anúncios

3 Respostas para “Os encantos do Deserto (Parte I)

  1. Nossa ! Nunca achei que comeriam algo sofisticado por lá. Imaginava uma papa de milho e olha lá. Também nao imaginava que era caro assim. Bom saber.

  2. Oi,
    Fiquei sabendo do blog no post da Gélia e passei para conhecer, e estou ficando para acompanhar, adorei o blog!!
    Estou seguindo…

    Bjos
    Andressa
    http://nossataosonhadahumilderesidencia.blogspot.com.br/

  3. Nunca imaginei uma comida tao rica no deserto. Gostei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s