Arquivo da categoria: Aromas e Sabores

Burger For You

Quem não gosta de hambúrguer? Bom sujeito não é…rs Não é possível que alguém no mundo não goste de pão, carne e queijo. Sério, só de pensar eu já fico com fome. Podemos até achar que é uma comida “gorda” com muitas calorias e por isso comer menos vezes do que realmente gostaríamos, mas não podemos negar que é uma das “atuais” maravilhas gastronômicas.
Tenho certeza que o “raio gourmetizador” ajudou em muito essa estrela a brilhar. Hoje, pelo menos, aqui em São Paulo contamos com um número grande de hamburguerias gourmets. É uma oferta grande de pães artesanais, combinação de carnes e muitos molhos diferentes…. Tem para todos os gostos: picante, agridoce, crocante, cru, bem passado, defumado, com molho de tomate, abacate, alface, wasabe, cerveja…. Tem de tudo e para todos! Aí o negócio é experimentar e achar o seu preferido. Por isso, ando comendo muitoooo hambúrguer.
Na semana passada, por exemplo, fui na inauguração do Burger For You. Uma nova hamburgueria com pegada jovem, mas bem eclética. E isso reflete principalmente na decoração e no cardápio. São 8 sanduíches (6 com carne, 1 de salmão e outro vegetariano feito com cogumelos) e todos com nomes super criativos que entregam a ideia dos ingredientes. O que mais me chamou a atenção foi o “Simple Mind”, pois era a pegada que eu estava naquela quarta-feira… Pensamento simples, nada de complicação…rs Nada de ingrediente muito diferente, pão de brioche, cebola-roxa, alface, tomate, queijo prato, carne temperada na medida certa e a maionese secreta (toque suave de alho e cheiro-verde). Gostei muito da minha escolha, o sabor era simples, mas delicioso! O pão saborosíssimo e super macio, textura de brioche mesmo, e a maionese delicada. Ah! O tamanho do lanche é na medida certa, vou confessar que quando vi o do “vizinho”, antes do meu chegar achei que era pequeno, mas quando comecei a comer me arrependi desse pensamento rapidamente.

Simple Mind

Já o meu namorado foi mais ousado e escolheu o “Bad Habit”…rs Bem a cara dele!!! #sqn Hambúrguer de 160 g + pão de cerveja stout (aquela mais escura, com aroma de café e sabor levemente amargo), queijo cheddar + maionese secreta + bacon crocante + cebola caramelizada. Um perfil mais diferente de sabor, mas que gostei também. O pão tem a cor mais escura e o sabor que contrasta bem com o queijo. A crocância do bacon dá a graça no sanduíche e completa o sabor.

Bad Habit
Esqueci de contar que antes de comermos os hambúrgueres pedimos uma batata canoa frita com lemon pepper que já vem acompanhada da maionese. Adoro lemon pepper, mas nunca tinha experimentado colocar na batata. Fica incrível! Vale experimentar, principalmente quem gosta do sabor de limão.
Com as bebidas (eles possuem uma carta bacana de cervejas = 4 normais e 9 gourmets) a nossa conta ficou em R$ 99,00. Achei o preço bem justo! Foram 4 cervejas + suco + água + batata + sanduiches!
Fica aí a dica, principalmente para o pessoal do ABC, o Burger For You fica na Rua das Figueiras, 301 – Santo André/SP.
Quem quiser mais informação pode entrar no Face deles: facebook.com/burger4U
Valeu!!! 😉

Encontro num Restaurante Secreto (Minami Villa)

Antes nos víamos diariamente e as conversas após o almoço eram sempre muito engraçadas. O papo nunca acabava, mesmo que fosse comentando sobre as celebridades da Revista Caras…rs Mas cada uma foi para um lado e agora está mais difícil de nos vermos.Meninas

Depois de algumas tentativas, nessa semana conseguimos nos encontrar. Por sugestão da Eli fomos num tradicional restaurante japonês no Klabin, que não tem placa na frente, não parece um restaurante e também não aceita cartão, apenas dinheiro ou cheque mesmo. A primeira pergunta que vem à minha cabeça é como as pessoas descobrem. Coisa de doido! Mas o mais doido é que por causa do boca a boca o restaurante faz sucesso. A Eli ficou sabendo, por exemplo, por indicação de amigos. E realmente, não me pergunte o por quê não tem nenhuma identificação.
No cardápio apenas opções à la carte, como: Combinados (sushi + sashimi), Guioza, Teppan, Tempurá, entre outros.
Chegamos por volta das 19h30 e o restaurante ainda estava bem vazio. Ao sentar, já pedimos as bebidas e nos serviram uma pequena porção de legumes refogados, tipo uma entradinha.
Resolvemos começar pedindo uma porção de “trouxinhas” de camarão com maionese. Achei um pouco forte o sabor, uma unidade por pessoa já é mais do que suficiente, se não fica enjoativo.Trouxinha

Depois pedimos uma porção de Shimeji, outra de Guioza no Vapor e uma de Tempurá de Legumes. Achei o Shimeji um pouco sem gosto (coloquei shoyu para melhorar), mas o Guioza e o Tempurá estavam gostosos. O que nos impressionou foi o tamanho da porção do Tempurá, muito grande mesmo. Acho que dava para umas 8 pessoas comerem bem.Tempurá

No final das entradas já estávamos satisfeitas, mas ainda queríamos experimentar os pratos principais. Então pedimos um Combinado Mini e um Teppan de Filé-Mignon. O combinado chegou super rápido e estava ótimo, ideal para 2 pessoas. Agora o Teppan demorou bastante, pois nessa hora o restaurante já estava bem cheio. Além disso, ficamos um pouco decepcionadas, pois esperávamos mais do prato. Vieram apenas dois bifes de mignon, Shimeji, Gohan (arroz japonês) e Misoshiru. Teppan

No final, a conta ficou em R$ 50 por pessoa, preço bem justo para São Paulo.
Gostei do restaurante, mas não achei muito diferente das outras milhões de opções de restaurantes japoneses que temos aqui na cidade. Concluímos que é uma boa opção para as pessoas que querem um lugar mais reservado (inclusive vimos o Chico Pinheiro jantando por lá. rs).
Já ia esquecendo, segue o endereço caso alguém queira conhecer: Rua Pedro Nicole, 7 (É uma casinha com uma porta de madeira, bem escondido mesmo. Não fique constrangido de entrar.rs).

Consulado da Bahia

Há dias que eu estava com muita vontade de comer moqueca. Só conseguia pensar naquele sabor do leite de coco com azeite de dendê. Humm! Só de lembrar já me dá vontade de comer novamente…rs Pensei em preparar, mas já estava quase na hora do almoço e não tinha nenhum dos ingredientes em casa. Então, lembrei-me de um restaurante que tinha ido há uns 4 anos e que era especializado em culinária baiana. Procurei na internet e o restaurante ainda estava funcionando e aberto, como era feriado fiquei com medo de estar fechado.
Chegamos ao restaurante por volta das 14 horas e já percebemos que tinha bastante gente na espera. Mas isso é normal para São Paulo ainda mais no feriado, né?! A recepcionista deu a previsão de 30 a 40 minutos de espera e justamente depois de meia hora conseguimos nos sentar. Chegando à mesa, o garçom já nos orientou a pedir o prato logo, pois eram preparados na hora e demoravam a chegar. Nesse momento já estava começando a ficar azul de fome, mas a sinceridade do garçom me agradou. Pois se ele não tivesse falado, com certeza ficaria muito nervosa com a espera.
Consulado 1 Como já sabíamos que seria moqueca, só precisava decidir do que seria, tinham pelo menos umas 8 opções, mas escolhemos a mais tradicional: pescada-amarela com camarão.
A espera da mesa nos ajudou a ver que o prato era bem servido (muita gente estava comendo a moqueca), por isso resolvemos não pedir nenhuma entrada, mesmo já estando com muita fome.
Consulado 2 Vimos também nas mesas ao lado que a porção de acarajé estava fazendo bastante sucesso (os acompanhamentos são separados e você monta na própria mesa). Caso você seja fã de acarajé, fica a dica.
Trinta minutos depois chegou a nossa moqueca borbulhando na panela de barro. Nessa hora já não estava nem conseguindo pensar, mas o aroma do leite de coco e do azeite de dendê me fizeram esquecer de tudo. A moqueca veio acompanhada de arroz branco, farinha de mandioca e pirão. Parecia muito, até achamos que daria para umas 4 pessoas, mas realmente vem bastante caldo porém pouco peixe e camarão, tinham 4 postas pequenas de pescada e uns 200 gramas de camarão.
Consulado 3 Estava fantástica! Sabor da verdadeira moqueca baiana. Apenas a porção poderia ser mais generosa (até por conta do preço nada barato: R$ 120,00). Aí que rola a revolta, pois uma moqueca dessas na Bahia custa metade do preço, mas São Paulo é São Paulo e poder ter esse privilégio de matar a vontade sem ter que pegar um avião, não tem preço.
A espera e o preço ficaram um pouco a desejar, mas o sabor da moqueca sobressaiu esses pontos negativos. Saímos do restaurante satisfeitos e sabendo que podemos contar com um bom representante da culinária baiana aqui em São Paulo.

Se ficou com vontade, segue o endereço: Rua dos Pinheiros, n° 534 (no Google aparece o endereço errado – Rua Mateus Grou, 534) – Tel.: (11) 3085.3873

O Jardim Secreto

Toda vez que estou com dúvida do que comer entro no Grubster e procuro os restaurantes mais próximos e com desconto. Acho que não falamos sobre o Grubster aqui ainda.
Agora estão super na moda os aplicativos de restaurantes que dão desconto na reserva. O Grubster é mais um desses, para mim é onde tem a maior opção de restaurantes com mais desconto. O único ponto é que para cada reserva você deve pagar R$ 10, mas pelo desconto concedido no restaurante, na minha opinião, vale à pena.
Então, nessas minhas buscas encontrei “O Jardim Secreto” em Perdizes, não é muito perto da minha casa, mas a proposta me fez querer conhecer o local.
Jardim
Reservei às 15h30m de domingo (sim fui almoçar) e chegando lá, eu e o meu namorado fomos bem recebidos. Mas ao entrar no restaurante ficamos meio receosos, pois o salão estava vazio. Ninguém gosta de ir num restaurante vazio, parece que fez a pior escolha e que com certeza vai se arrepender. Porém, aí que estava o “secreto”: o jardim. Localizado no fundo da casa, o espaço é uma aconchegante e charmosa área verde, com mesinha simples e muitas árvores frutíferas. E lá estavam as pessoas, ufa!
O cardápio é bem sucinto, com 4 – 5 opções, mas todas bem atrativas ao meu paladar. Inclusive fiquei com muita dúvida do que escolher. Nessas horas que a técnica de olhar para o prato do vizinho funciona…rs A moça do meu lado tinha pedido a Carne Seca com Purê de Abóbora e como estava mega apetitoso, essa foi minha pedida também. Meu namorado que adora carne preferiu pedir o Bife Ancho com Risoto de Parmesão.
Carne Seca
Os pratos vieram bem servidos e bonitos de se ver… Adorei o purê feito de abóbora japonesa (kabochan) que estava na consistência certa e com toque de azeite de oliva. A carne seca sem muita gordura e bem refogada. Gostei muito da combinação, acrescentaria só arroz branco, pois sempre sinto falta dele.
O Risoto do meu namorado também estava bem saboroso com pouco sal, mas não muito al dente. O Bife Ancho veio no ponto e suculento , segundo o meu namorado.
Ancho
Os únicos inconvenientes foram o vento (estava uma tarde meio fria) e o “contato íntimo” com a natureza. Meu namorado não conseguiu comer todo o risoto, pois caíram pedacinhos de folhas e galhos no prato. Além disso, a todo o momento tínhamos que ficar atentos com as pitangas e uvaias que caíam do pé. Ah! E também tínhamos que desviar dos passarinhos, sei que pode dar sorte, mas não estava no roteiro “servir de banheiro”…rs
Nós (1)
Tirando isso, adoramos a experiência, o atendimento e achamos o preço bom: comida + 2 cervejas = R$ 120 casal – 30% de desconto do Grubster R$ 84.
Se quiser conhecer, segue o endereço: Rua Caraíbas, 389 – Perdizes 11 2384.1871
Até a próxima! Bjs!

Restaurante Madero

Há alguns meses umas amigas comentaram que o Madero havia aberto uma unidade em São Paulo no shopping Eldorado. Não tinha ouvido falar sobre o restaurante até então, inclusive achei que era mais uma franquia americana vindo para o Brasil. Lembrando que nesses últimos meses tivemos esse movimento com a chegada do P.F. Chang’s, do Red Lobster, entre outros.
No mês passado ganhamos (eu e o meu namorado) uma aposta de perda de peso (na verdade, minha contribuição foi bem pequena para essa vitória… rs) e o prêmio para o casal com maior porcentagem de perda seria um jantar bem “gordo” em qualquer restaurante e com a conta paga pelo outro casal. Meu namorado tinha dado a sugestão de irmos ao Red Lobster, mas ontem o restaurante fechava às 21 horas devido ao feriado (estranho um restaurante fechar esse horário num sábado em São Paulo). Pensando em outra opção, lembramos do Madero, que por coincidência está com uma matéria na Revista Exame PME explicando a sua trajetória. Foi aí que entendi que era uma rede criada por um Chef Paranaense em 2005 e que estava ganhando o Brasil. Nada de rede estrangeira vindo para o Brasil…rs
Decisão tomada, partimos para conhecer o restaurante. Como de praxe tinha fila de espera, mas nada assustador, ficamos uns 20 minutos esperando num lounge.
Achei o ambiente bem bonito e claro, com uma decoração harmoniosa com foco na madeira. E descobri que a arquiteta responsável é a esposa do Chef e proprietário Junior Durski.
Começamos pedindo Chopp (R$ 9) que veio bem gelado e uma porção de Linguiça de Pernil (R$ 29) acompanhada de pão bem quentinho. A linguiça estava bem saborosa, levemente apimentada, mas um pouco seca por ser grelhada e não frita.
Como prato principal, os homens escolheram a Baby Back Ribs com Molho Barbecue e Krim (raiz forte com beterraba) (R$ 49 – para 2 pessoas) e as mulheres foram no famoso Cheeseburger (R$ 29), eu na opção tradicional e a minha cunhada no estilo New York que teoricamente teria o pão mais macio, mas não percebemos essa diferença na hora. Todas as opções vieram com uma porção justa de batata frita, mas que estava um pouco seca (sabe quando frita demais e esfria?!).
O Cheeseburger estava muito saboroso, a carne no ponto certo com uma quantidade boa de alface e rodelas de tomate. Adorei o pão crocante, parecendo pão francês. O ruim é que quem prefere o pão de hambúrguer não tem essa opção. Não consegui comer todo o meu Cheeseburger e nem toda a batata. Não sei se estava com pouca fome ou se o sanduíche era realmente grande.
Cheese
Segundo o meu namorado, a Ribs estava bem saborosa não perdendo em nada para a do Outback. Apenas os acompanhamentos que são à parte (vem apenas com a batata frita – No Outback e no Applebee’s você tem mais opções).
Ribs
E como toda mulher, a primeira coisa que eu e minha cunhada vimos no cardápio foi a sobremesa. A variedade não é muito grande, umas 7 opções contando o sorvete. Achei legal por ser um restaurante brasileiro ter a opção de brigadeiro na panelinha. Mas como não gosto de chocolate e também queria algo diferente, resolvi experimentar o Petit Gâteau de Doce de Leite (R$ 22). Achei a massa bem leve e o creme de doce de leite na consistência certa, bem cremoso. Minha cunhada que está acostumada a comer a opção de chocolate, achou a de doce leite muito mais saborosa e menos enjoativa.
Sobremesa
Gostamos bastante da comida, do ambiente e achamos o preço justo, o único ponto que pegou foi o atendimento. Os garçons estavam meio perdidos, tivemos que pedir muitas vezes a mesma coisa e mesmo assim demoravam a trazer, principalmente as bebidas.
Li na Exame que o treinamento dos funcionários é um ponto forte da rede, que inclusive tem a rotatividade baixa quando comparada com a média da categoria. O foco da rede é o treinamento e os benefícios, como aluguel de casa para os funcionários morarem (hoje são 120 casas em 16 cidades).
Minha expectativa é que o atendimento melhore, pois a comida e o ambiente já estão no ponto.
Se você já foi ao Madero, compartilhe conosco! Deixe aqui o seu comentário!
Para mais informações:
http://www.restaurantemadero.com.br
Beijos!!!

Dicas de Pernambuco

Agora nas férias tive a oportunidade de viajar com a minha mãe para Pernambuco e aproveitar um pouquinho do clima quente e festivo da região.
Cheguei na segunda-feira em Recife e resolvi ficar um dia no local para conhecer a capital. Mas não foi uma boa ideia, pois na segunda, a maioria dos museus fica fechado. Contudo, conseguimos conhecer a famosa Praia de Boa Viagem, depois fizemos o passeio de Catamarã pelo Rio Capibaribe, conhecemos o Mercado São Sebastião, o “Marco Zero” e por último a Feira de Artesanato.
Mãe
No almoço, seguimos a dica que recebemos na “Central Turística” e fomos ao restaurante Paraxaxá. Maravilhoso. A decoração e a comida super típicas! Foi uma ótima pedida, pois a comida estava muito boa, o buffet com uma variedade imensa de pratos e o preço por quilo bem justo. Não aguentamos e tivemos que pegar um pouquinho de cada prato para experimentar: carne de sol, camarão, macaxeira, escondidinho, baião de dois e muito mais. Esse merece entrar no roteiro gastronômico de Recife! 
Parraxaxa
No jantar a minha amiga que está morando em Recife nos levou no Guaiamum Gigante, restaurante/bar que serve uma deliciosa casquinha de siri e um saborosíssimo caldinho de aratu (caranguejo) acompanhado de farinha de mandioca, e não arroz (minha mãe ficou esperando o arroz para se servir, coisa de paulista. kkkkk). Ah! E os pratos/petiscos e o chopp são bem baratos.
Guaiamum
No dia seguinte fomos para Porto de Galinhas, mais ou menos 1 hora de carro de Recife. Nos hospedamos no hotel Pontal de Ocaporã por indicação de uma amiga e adoramos. Muito aconchegante e super receptivo. A comida é gostosinha, mas sugiro aproveitar para conhecer os restaurantes da “vila” que são muito bons. Jantamos no primeiro dia no Restaurante Barcaxeira (indicação de outra amiga) e achamos tão bom que voltamos lá mais um dia. A maioria dos pratos individuais são bem servidos, então servem duas pessoas. O carro chefe da casa é o Escondidinho de Macaxeira que é servido em três tamanhos e com muitas opções de recheio. A sugestão aqui é o de carne de sol e não tem necessidade de pedir o arroz, pois a macaxeira já tem bastante sustância e na minha opinião não combina com arroz.
Escondidinho
Outro lugar gostoso para comer bem é o Peixe na Telha, lá a indicação é o prato que tem o nome do restaurante. Muito gostoso mesmo, o peixe fica bem firme e com uma casquinha deliciosa. O preço dos pratos nesses restaurantes já é mais salgadinho, mas ainda é mais barato do que a maioria dos restaurantes em São Paulo.
Peixe
No penúltimo dia fomos para Olinda, que fica mais próximo a Recife, mas também não é longe de Porto de Galinhas. Que cidade linda e com muita história! Aqui já tinha me programado para almoçar no famoso restaurante Oficina do Sabor, comandado pelo Chef César Santos. Ícone da gastronomia pernambucana, faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança que prima pela excelência e qualidade nos serviços. Realmente o restaurante traz a comida típica com o ar do gourmet que reflete nas opções do cardápio e também no atendimento eficaz. Começamos pela entrada com o Queijo Arretado de bom (Queijo de Coalho Assado com Ervas) e como prato principal aceitamos a sugestão do garçom e pedimos o Jerimum Recheado com Camarão e Lula ao Coco.
Queijo
O prato serviu bem três pessoas, só tivemos que pedir uma porção a mais de arroz. O prato estava delicioso, tempero suave e com generosos “pedaços” de lula e camarão.
Jerimum
Aqui o ticket médio já foi mais alto, R$ 80 por pessoa, sem sobremesa. Mas valeu a pena pela comida, atendimento e pela vista.
Tenho muito mais para contar de Pernambuco, mas essas são as principais dicas gastronômicas. Não se esqueça de incluí-las quando for conhecer Recife, Olinda e Porto de Galinhas. #ficaadica
Bjs!

Picolé no Inverno!

Isso mesmo!! A onda agora é o picolé! Mas não se engane achando que é qualquer picolé… Estou falando das famosas “paletas”, de origem mexicana, feitas de maneira artesanal que podem ser de frutas, cremosas ou RECHEADAS.
Imagine, por exemplo, um picolé de morango recheado com leite condensado, cremoso e muito saboroso. Agora ele existe! Los Ticos
Já tinha visto alguns quiosques nos shoppings e muita gente “comendo”, mas ainda não tinha provado. Aí nesse sábado o meu amigo comentou que tinha uma loja perto de onde estávamos jantando, lógico que quis conferir. Até comi pouquinho no jantar para me esbaldar na “paleta”.
Fomos numa “paleteria” em Moema chamada “Los Ticos Paleteros” e lá tinham uns 20 sabores e todos muito atraentes. O meu escolhido foi o de Doce de Leite com recheio de doce leite (tudo que uma intolerante a lactose pode consumir…rs).
Estava divino com o recheio muito cremoso (não sei como conseguem fazer isso). Parecia que estava comendo doce de leite Havana de colher. Mas esse é para os fãs daquelas sobremesas beeemmm doces, inclusive mesmo adorando doce não consegui comer todo ele.
A minha amiga optou pelo de Leite Ninho com Chocolate e comentou também que estava muito bom, feito com chocolate de qualidade, sem sabor de gordura.
Los Ticos
Agora a dica é ir com muita vontade, pois eles são grandes, maiores do que os picolés comuns, eles têm em média 120 g. Para ter ideia, um Magnum pesa 80 g e já é grande, né?!
Os preços das “paletas” variam de R$ 9,00 a R$ 11,00 cada.
Com certeza vou voltar lá para provar os outros sabores. Se alguém tiver alguma dica de sabor comenta aqui no post para eu já ir decidindo o da próxima vez! #adorodoce #picolenoinverno #paletas

Los Ticos Paleteros
Alameda dos Arapanés, 851 – Moema – São Paulo / SP